Discussões

QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!

Compartilhe este tópico:
Tópicos [ Anterior | Próximo ]
Mostrando 1 - 20 de 29 resultados.
de 2
Mariana Manfredi,

Meus prezados irmãos de caminhada aqui na Mãe Terra.

Bommmmmmmmmmmmmm dia!

Venho me perguntando se o foco primeiramente deva ser o QUALIFICAR, para depois, na sequencia, o TRANSPARECER!

O que conheço das informações armazenadas, seja na esfera municipal onde alguns poucos municípios, as capitais em especial, possuem condições para ter alguma coisa armazenada, seja nas esperas estaduais, seja na esfera federal, é que são desqualificadas, não representam a realidade.

Na definição de transparência, Houaiss3, tem que é qualidade ou condição do que NÃO desperta dúvida!

As informações armazenadas hoje despertam dúvidas? Penso que sim!

Entendo que isso aconteça em função principalmente da autonomia no trato da informação pública que permite que cada órgão armazene o que quer, como quer, quando quer..., e do retrabalho onde um grande número de órgãos está tentando manter individualmente uma mesma informação, vejamos o exemplo do cadastro dos imóveis de uma cidade: a prefeitura, os cartórios, as companhias públicas de água, energia, gás... todos com seus cadastros defasados, e na real hoje não sabemos na mão de quem está o solo brasileiro.

Apresentamos duas propostas na conferência de Maceió objetivando a mudança destes dois paradigmas, autonomia e retrabalho, objetivando a qualificação da informação pública brasileira, e esperamos mantê-las na conferência de Alagoas.

Quem sabe aqui, com essa multiplicidade de conhecimento, de vivências, vocês me auxiliam a construir algo, vejo uma boa oportunidade, e não acredito que algo seja edificado se não for em União.

Hoje o Brasil é um dos países com mais formas legalizadas de participação da sociedade.

Resta-nos aprender a participar e assim, em paz e harmonia, aprender a vivenciar a democracia, aprender a vivenciar a cidadania!

Desde já grato pela atenção...

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
22/03/12 04:21 em resposta a André Weinmann Carneiro.
antes dos dois verbos apresentados,temos que trocar um; o de reclamar por participar.quanto maior nossa participaçao melhores resultados.

QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
22/03/12 10:56 em resposta a joaquim gonçalves.
Bommmmmmmmmmmmmmmmm dia!

Pois é Joaquim, e entendo que o Brasil vem se destacando positivamente, criando mecanismos de participação, e assim, com a prática, a oportunidade de apredermos a particpar.

O estar aqui é uma prova disso!

Você me fez lembrar um cartum elaborado por um cartunista argentino que eu tenho admirição, Quino.

Anexo aqui para reforçar seu conselho...

E vamos seguindo em frente e pro Alto!

Saúde e Paz!

André
Anexo

Anexos: Mafalda Esporte.JPG (212,1k)

QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
22/03/12 12:36 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Mariana Manfredi,

Desbravadores conferencistas virtual, rs

Prezada Flávia Loureiro,

Bommmmmmmmmmmmm dia!

Estou trazendo para esse tópico um debate que iniciei no tópico Tema 1 do que estamos falando.

Flávia, penso que entendo o que falas... Em regra geral sou a favor da liberdade de expressão, então, a possibilidade de publicação de informações de acordo com seus interesses, como falastes, sempre existirá.

Respeito também a sua responsabilidade em trabalhar com fatos, respeitar direito autoral, uma questão a ser debatida também pela sociedade, penso eu, quando falas em ter base, fundamentos, referenciar etc. estás corretíssima.

Concordo também da importância de se aprender a diferenciar os conteúdos... Milton Santos, esse ser especial, geógrafo, cientista social, filósofo, ensaísta e pensador político, nos fala que é preciso olhar por trás da notícia, examinar quem está se beneficiando com a notícia.

Mas Flavia, estou falando dos dados originais, dos dados que HOJE temos que coletar para então produzir uma informação, por exemplo: se um gestor público necessitar saber qual o local na cidade com maior carência de uma escola do 1º grau (ainda é assim a denominação? rs), que dados ele necessitaria para tomar uma decisão que fuja da politicagem e do achismo?

Cadastro da população com dados tais como idade, grau de instrução, renda familiar, endereço de residência, escola atual que frequenta, meio de transporte que utiliza no deslocamento a escola... visando a seleção dos mais necessitados.

Mapa da cidade, linhas de ônibus, sentido das ruas, passarelas... visando localizar as opções existentes e os possíveis acessos.

Concordas?

A questão é, essas informações existem? onde? qualificadas?

E a pergunta mais importante, ela pode vir a existir fidedigna?

De forma mais prática, podemos elaborar um modelo em que o censo do IBGE, que trabalha com estatística, não se torme mais necessário?

Ou seja, que o censo seja substituído pela manutenção, pela existência de dados reais, online?

Por exemplo, é possível a elaboração de um modelo que contemple uma base única contendo o cadastro de pessoas, onde ao nascer a pessoa seja registrada, apenas uma vez, onde cada informação referente a pessoa, informação referente a educação, saúde, renda, moradia etc. seja registrada seguindo um dos princípios da contabilidade, o da oportunidade ou tempestividade, ou seja, o fato aconteceu registra, de emediato, apenas uma vez, e todos, dentro das competências pré estabelecidas pela sociedade, acessem a mesma informação, e da mesma forma e principalmente, todos, dentro de uma ordem pré estabelecida pela sociedade, desntro de suas competências, mantenham a informação atualizada?

A realidade de hoje é que dentro de uma mesma esfera, a municipal por exemplo, cada secretaria e muitas vezes cada órgão, despende recursos humanos, financeiros, materiais etc. na tentativa de sozinho manter essa base atualizada, é retrabalho, é desperdício do erário, e principalmente, é inviável.

O que temos hoje é uma miscelânea de bases de dados, desatualizadas, desqualificadas, duplicadas...

O que venho propondo é que se elabore o Planejamento Estratégico da Informação Brasileira.

Para não me estender muito, já o fazendo... rs paro um pouquinho... rs

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
22/03/12 14:43 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Mariana Manfredi,

Colegas conferencistas,

Bommmmmmmmmmmmm dia!

Estou trazendo para esse tópico um debate que iniciei no tópico Tema 1 do que estamos falando.

Mariana, concordo contigo quanto ao processo de qualificação da qual falas, a cada dia novos cursos vem sendo disponibilizados abrangendo temas bem importantes tais como cidadania, tributação, planejamento, orçamento etc. e isso é bem bom, mas pela minha resposta a colega Flávia Loureiro penso que entendestes que falo de outra qualificação, da qualificação das bases de dados públicas brasileiras, qualificação no sentido de fidedignidade, de veracidade dos dados.

Falo especialmente de três bases de dados referente ao Mapa, as Pessoas e as Empresas.

Primeiro falarei sobre o que chamo de MAPA, onde tudo acontece, o cadastro imobiliário, o cadastro dos terrenos e edificações, seja na área urbana ou rural, o cadastro do que se tem em cima do solo e também em baixo tais como as tubulações de água, energia, gás... assim como as características do solo, arenoso, argiloso, plano, aclive etc..

Se hoje quisermos ter uma ideia da situação da cidade, seja para elaborar o plano diretor da cidade, para verificar as áreas de risco, áreas de expansão etc. teremos que solicitar informações em vários órgãos, com toda a burocracia e possível má vontade em função da politicagem.

Vale destacar também que vários destes dados são necessárias a vários órgãos distintos, ou seja, estão sendo coletados por vários órgãos na tentativa individual de se possuir informação qualificada.

Na prática o que acontece são situações tais como uma empresa fazendo um serviço e por desconhecimento furar uma tubulação de gás e assim ficar sujeita a ocasionar alguma tragédia; casos de municípios em que o total de área registrada no cartório é maior que a área do município, são fazendas que só existem no papel e são utilizadas para falcatruas; casos como o do aeroporto de Maceió que ainda hoje existe a peleja judicial e política sobre a sua localização, se está no município de Maceió ou de Rio Largo, em função do interesse referente aos impostos, e o próprio IBGE ficou em cima do muro.

Estes e tantos casos são problemas ocasionados pela desqualificação dos dados existentes, ocasionados pela desunião na manutenção da informação brasileira, penso eu, pela autonomia no trato destas bases de dados públicas, e eu pergunto, a informação é pública ou pertence a um determinado ministério, secretaria, órgão...?

Já falei em outro momento do cadastro das PESSOAS e da importância de conhecermos quem somos.

Agora falo da terceira base de dados, as EMPRESAS. São centenas de órgãos no Brasil tentando conhecer as empresas.

Citando apenas alguns temos a Receita federal, a Junta comercial, as secretarias de fazenda estaduais e municipais, os bombeiros, as vigilâncias sanitárias estaduais e municipais etc..

Faço cruzamentos entre a base de dados das empresas cadastradas no município de Maceió, que contém dados tais como razão social, nome fantasia, sócios, atividades que executa, endereço de localização, faturamento etc., com o cadastro de empresas da base dados do estado de Alagoas, da Receita Federal e da Junta Comercial. É uma bagunça, nenhum destes órgãos tem uma base confiável.

Qual as consequências? empresas fantasmas, sócios laranjas, empresas que faturam milhões tem como sócios empregadas domésticas, moradores de ruas etc. e quando se descobre falcatruas não se tem como cobrar, pois os verdadeiros usurpadores não estão identificados.

Volto a perguntar, será que não podemos elaborar um modelo que contemple uma base de dados única e multifinalitária?

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
22/03/12 16:37 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Mariana Manfredi,

Colegas conferencistas,

Bommmmmmmmmmmmm dia!

Após as exposições que fiz dos entendimentos que tenho, de minha percepção quanto ao significado de transparência, apresento agora a moção que levamos e incluímos na 2ª Conferência Nacional das Cidades, em dezembro de 2005, que não teve sequencia, para que possam ter uma ideia do caminho que estamos percorrendo que inclui palestras, participação em seminários, conferências, especializações, pesquisas, contato com colegas de tecnologia da informação dos outros entes federativos etc..

Tudo isso faz parte de nosso desejo de auxiliar na elaboração de um modelo que viabilize a tão clamada transparência administrativa.

Moção da 2ª Conferência Nacional das Cidades:

Considerando que o Brasil necessita planejar a qualificação da informação direcionando os recursos humanos e financeiros para a unificação das bases de dados. A Base de Dados necessita ser conceitualmente Única!

Considerando que vivemos a transição da sociedade industrial para a da informação como recurso. Para que cumpramos a missão de assegurar o direito de todos à cidade, garantindo que cada moradia receba água tratada, coleta de esgoto e de lixo, que cada habitação tenha em seus arredores escolas, comércio, praças e acesso ao transporte público, necessitamos de bases de dados qualificadas que reflitam a nossa realidade, referente a quem somos, onde moramos, como vivemos e do que necessitamos, ou seja, conhecer o território rural e urbano e os agentes ativos que o modificam, as pessoas e as empresas, é missão crítica para atender às necessidades objetivas da população.

Em função do exposto, a plenária da 2ª Conferência Estadual das Cidades em Alagoas, propõe ao Ministério das Cidades, que de forma democrática e transparente, defina quais são os principais cadastros existentes, Imóveis, Pessoas, Empresas...; a quem compete sua guarda, manutenção, atualização, disponibilização e a sua integração; a origem dos recursos necessários; assim como fornecer o amparo técnico e legal que viabilizem a implantação do cadastro único.

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

PROPOSTAS
Resposta
22/03/12 17:17 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Mariana Manfredi,

Colegas conferencistas,

Bommmmmmmmmmmmm dia!

Nesta caminhada procurando meios de viabilizar a qualificação das bases de dados públicas brasileiras apresentamos a seguir duas propostas que incluímos na Consocial de Maceió e que esperamos ratificá-las na de Alagoas a ser realizada próximo 31 de março.

Apresentamos aqui na vontade de vê-las debatidas, melhoradas e aprovadas aqui também.

Primeira proposta:

ELABORAÇÃO DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA INFORMAÇÃO BRASILEIRA, ATRAVÉS DA PARTICIPAÇÃO DA SOCIEDADE COMO UM TODO, VISANDO A CRIAÇÃO DA BASE DE DADOS PÚBLICOS BRASILEIRA, ÚNICA E MULTIFINALITÁRIA.

Segunda Proposta:

CRIAÇÃO DO CONSELHO DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO BRASILEIRA, FORMADO PELOS ÓRGÃOS DO CONTROLE SOCIAL E SOCIEDADE CIVIL, VISANDO A IMPLANTAÇÃO DO CONTROLE E TRANSPARÊNCIA DAS BASES DE DADOS PÚBLICO BRASILEIRA.

Entendemos que direta ou indiretamente essas propostas se equivalem a outras já apresentadas, tanto aqui, quanto nas que podemos ver no Portal da 1ª Conferência Nacional sobre Transparência e Controle Social - 1ª Consocial, referente as conferências que vem ocorrendo pelo Brasil.

A diferença talvez seja que acrescentamos além do foco na divulgação dos dados, a sua qualificação, a proposta de se criar meios de garantir a veracidade dos dados referentes aos principais cadastros públicos brasileiros.

O texto destas duas propostas eu copiei do portal da 1ª Consocial.

Sempre agradecendo a oportunidade de participar de algo que consideramos bem importante no caminhar para a criação de uma sociedade justa, humana, fraterna...

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

RE: PROPOSTAS
Resposta
22/03/12 17:31 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Boa tarde,
Esse é um inicio de uma longa caminhada em busca da transparência.
O destinatário da informação precisa entendê-la e ter senso crítico A sociedade precisa ser preparada para exercer o controle social.
Para evitar que os órgãos divulguem informações desnecessária, confusas, duplicadas...
O cidadão precisa estar preparado para ser um "fiscal da gestão pública"

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
24/03/12 04:12 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Boa noite.
Desculpem a demora em responder. Ontem não consegui acessar o site.
André, concordo com algumas colocações e discordo de outras.

Basta entrar no site das Prefeituras onde podemos encontrar dados sobre o município, subprefeituras, distritos e das secretarias. A questão é pesquisar e cruzar as informações. Pelo que entendir sabes bem como fazê-lo. O que está propondo é centralizar e padronizar todas as informações em um único banco de dados. Pode não ser prático, viável e ficar enorme.

Bem, existe o Software Público Brasileiro ( www.softwarepublico.gov.br ), donde se esta desenvolvendo vários programas livres. Talvez um deles sirva. Mesmo assim não será na totalidade como pensa. Conseguir implantar é outra coisa, pois é necessário ter local, espaço e quem o faça.

Lembrando que há a questão da privacidade pessoal, profissional e empresarial.

Aproveitando as suas questões:

Os gestores geralmente tem algum tipo de levantamento dos equipamentos públicos e um razoável levantamento populacional. Já a implantação de novos equipamentos públicos muitas vezes a decisão do gestor dependerá mais da pressão dos moradores, associações, entidades e empresas interessadas e, é claro, de alguns políticos. O que acaba até prejudicando a comunidade local por falta de considerações técnicas e da impossibilidade de implantação.

Por ex.: quer por que se quer colocar uma escola no bairro. Tudo bem. De repente a escola não preenche os requisitos de qualidade. Só se esqueceram de considerar que quando chove o local alarga. O aluno deixa de estudar e o professor recebe sem ter de trabalhar.
Ou, a implantaçao de uma UBS em uma região com alterações geográficas. Aí todos reclamam que é difícil subir o morro, querem ônibus especial.
Em ambos o exs ( de fato) a culpa é da Prefeitura por atender a comunidade?

Leve em consideração este outro ex.: Para ter direito ao Bolsa Familia, a família tem de receber "x "salários, ter no máximo 3 filh@s como dependentes ( "x" valor por cada um) , estarem estudando e com as vacinas em dia. Sabia que no ano retrassado, um funcionário público estava recebendo o Bolsa Família e registrou seus dois filhos e o gato como dependentes? Temos duas irregularidades: por ser funcionário público e registrar o gato como filho. Tudo bem, para ele o gato era um filho. Quem deveria fiscalizar se está com tudo certo, em dia? O caixa do banco ou da lotérica? Aonde estão os integrantes dos conselhos gestores de saúde, tutelares, ... para fiscalizar quem recebe? Afinal, se trata das verbas do orçamento do Bolsa Família.

Sugiro que considere que tod@s nós somos necessitad@s. Na questão apresentada sobre a Mobilidade Urbana e transporte coletivo, em São Paulo já existe transporte especial apenas para pessoas com deficiência ou adoentadas - para estudar e se tratar. Se procurar no google ou outro de pesquisa sobre localização e meios de transporte, encontrará várias opções. O interesse surge de acordo com a necesidade.

O que estou querendo mostrar é que a obrigação sobre as informações, a atualização dos dados é de tod@s - tanto dos órgãos públicos como dos moradores, usuários, da sociedade civil. Assim como há direitos, há os deveres e o bom sendo. Muitos em falta: Quando os pais vão avisar que tem mais uma criança? Que tem uma alergia? Que mudaram de telefone? De endereço ou de cidade? Já viu paciente ligar avisando para desmarcar consulta?

É necessário entender que Controle Social é participação de tod@s em ambos os sentidos.

Abraços
Flavia Loureiro

RE: PROPOSTAS
Resposta
26/03/12 00:53 em resposta a Vanuza da Silva Figueiredo.
Pessoal,

Que bom ver que as discussões estão acontecendo com vigor.

Nosso objetivo nessa Conferência Virtual é, além de garantir espaço para esse tipo de conversa, conseguir sintetizar as ideias, de modo que elas se transformem em propostas/diretrizes para a elaboração do Plano Nacional sobre Transparência e Controle Social.

Sendo assim, é hora de transformarmos essa discussão em uma proposta que seja:

- Sintética: ou seja, que explique os aspectos principais da ideia apresentada, aquilo que realmente é indispensável. Uma proposta/diretriz de poucas linhas costuma ter mais impacto e mais adesão dos demais participantes.

- Auto-explicativa: uma boa proposta/diretriz permite que, mesmo quem não participou da discussão do assunto, compreenda o que está sendo apresentado

- Formulada para o âmbito nacional: é fundamental lembrarmos que essa Conferência Virtual é uma etapa preparatória para a etapa nacional. Sendo assim, as propostas precisam dar conta de um contexto de país, e não apenas de uma determinada região.

Vamos caminhar pra essa etapa do nosso trabalho?

Assim que fecharmos a escrita, a proposta será encaminhada para o tópico "Visualização de propostas criadas até o momento" onde iremos discutir e definir os textos que irão para a etapa de valoração.

abs,

Mariana Manfredi

Mediadora da Consocial Virtual

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
26/03/12 13:42 em resposta a Flavia Loureiro.
Bom dia a todos!

Flávia Loureiro, grato pela atenção.

Desculpe-me a demora, é que me dei o final de semana de folga... rs

Sinto-me meio que frustrado pela minha incapacidade de me fazer compreender, mas entendo também que esse é um aprendizado, aprender a escutar, aprender a falar, aprender a conviver.

Não entendi porque falastes isso: Sugiro que reveja e considere que todos nós somos necessitados. Não sei em que momento te pareceu que eu não considero que todos nós somos necessitados. Acredito nisso, somos TODOS carentes, carente de amor, amor na forma de respeito, compreensão, atenção, justiça, solidariedade, humanidade.

Ou seja, não apenas de bens materiais. Mas, entendo também, que a cada dia mais pessoas estão vivendo abaixo da linha da pobreza, e o pior, a cada dia uma minoria vem acumulando mais riqueza. É essa informação que precisa ser transparecida: quem está se beneficiando com esse modelo excludente? Flávia, essa informação NÃO está registrada em nenhum lugar!

Não sei se tens lido todas as minhas mensagens, mas o que estou propondo resumidamente, duas propostas objetivas já foram colocadas para discussão, é que se elabore o Planejamento Estratégico da Informação Brasileira, não cabe mais cada gestor armazenar o que bem entende, entendes?

A informação tem poder! A sociedade é quem tem que dizer o que armazenar, quem armazenar, quando armazenar, quem acessar etc.. Ou como bem falas: É necessário entender que Controle Social é participação de todos em ambos os sentidos. Da mesma forma a manutenção das bases de dados públicas tem que ser feita, controlada, transparecida... por todos!

Como falei, trabalho com tecnologia da informação a mais de 30 anos, não sou nenhum gênio, bem pelo contrário, tenho um tanto de dificuldades para compreender as coisas, necessito de tempo para aprender novos conhecimentos, mas tenho uma experiência prática.

Hoje trabalho na prefeitura de Maceió e tenho contato com bases de dados da Receita Federal, da secretaria de fazenda do estado de Alagoas, da Junta Comercial, entre outras. Mantenho contato com pessoas de tecnologia da informação de várias esferas e te afirmo, o que se tem, e não é uma opinião só minha, esses dados que encontramos sobre municípios... são desqualificados, desorganizados, duplicados... ou seja, não representam a realidade.

Acreditas que o que está armazenado na contabilidade de um órgão, secretaria, prefeitura, estado, esfera federal etc. representa a realidade do que acontece financeiramente?

Flávia, te digo, é brincadeira o que encontramos registrado nas bases de dados públicas. Porque? porque quem está definindo o que armazenar, como armazenar, quando armazenar, onde armazenar etc. não tem o menor interesse de armazenar dados verdadeiros. E é isso que vamos transparecer?

Em Maceió, por exemplo, a pessoa que possui mais imóveis, segundo as nossas bases de dados, ou seja, um riquíssimo contribuinte, é o Odarongi da Silva, que se observares, é ignorado escrito ao contrário. Ignorado = Odarongi. A prefeitura ignora quem é o dono do imóvel, e te afirmo que é impossível a prefeitura SOZINHA conhecer todos os proprietários de imóveis de uma cidade.

Você pergunta: Quando os pais vão avisar que tem mais uma criança? Que tem uma alergia? Que mudaram de telefone? De endereço ou de cidade? Já viu paciente ligar avisando para desmarcar consulta? Fala ainda do funcionário que cadastrou o gato como filho...

Eu entendo que NÃO é o pai quem deve avisar, é para o hospital e/ou o cartório avisar, avisar não, registrar em uma base única o nascimento, é para a clínica registrar a alergia, a escola registrar o histórico escolar, a empresa em que a pessoa trabalha registrar o salário pago, é para a empresa que vendeu o telefone registrar o celular adquirido, é para a loja de carros registrar o automóvel adiquirido, é para o locatário registrar...

Não se preocupe se a base única vai ficar grande, hoje temos condições tecnológicas suficientes para manter os dados que quisermos, a questão é que NÃO é a sociedade que está definindo o que armazenar.

Existe uma base de dados no Banco Central do Brasil que recebe TODAS as movimentações de TODOS os bancos do Brasil. Entende? Todos os depósitos e saques que você fez em todas as suas contas bancárias está centralizado, duplicado, lá em uma base de dados em uma salinha do subterrâneo do Banco Central, e aí vem a pergunta, quem e como está utilizando esses dados? Para que estão utilizando esses dados? Podes imaginar?

Não quero EU juntar tudo, não quero EU ter um software, sei destes softwares livres da qual falastes, pesquisamos e sugerimos a utilização de alguns aqui na prefeitura, mas o gestor público prefere aquela solução milagrosa que custa milhões de reais, normalmente de uma empresa de um amigo, ou que já vem pré determinada de Brasília. Deves saber bem o motivo desta escolha do gestor...

Mas a questão principal não é o aplicativo, é sim a qualidade dos dados que serão manipulados pelo aplicativo. E acredite, temos condições humanas e tecnológicas que permite a existência de uma base de dados única brasileira, só a título de exemplo, hoje existe um cartão magnético, do tamanho de um selo de correio, que permite armazenar TUDO que tem registrado em TODOS os computadores de TODOS os órgãos e secretarias da prefeitura de Maceió.

Existe condições tecnológicas para que possamos saber exatamente o que se tem no solo brasileiro e quem são os proprietários, temos condições para ter um cadastro real da população brasileira, temos condição de saber quais são as empresas, temos condição de não permitir os desvios, e sim, para isso, necessitamos que toda a sociedade, pública e privada, participe deste planejamento.

Por exemplo, a prefeitura, mesmo que contrate mais e mais fiscais, não tem condições de fiscalizar o crescimento da cidade, então o que se necessita é que a população possa, quando ver os tijolos sendo colocados em um determinado terreno, entrar em um sistema, que esteja na esquina de sua casa, e informar essa ocorrência, ou seja, avisar que naquele ponto, naquele terreno, colocando o dedo no terminal de computador, apontando no mapa, vai ser construído algo, e que o sistema, de forma automatizada, sistêmica, verifique no plano diretor, no plano de expansão, se ali pode ser construído algo, se tem o aval da prefeitura etc. e informe aos responsáveis, entendes?

Você pergunta: Aonde estão os integrantes dos conselhos gestores de saúde, tutelares, ... para fiscalizar quem recebe? Afinal, se trata das verbas do orçamento do Bolsa Família. Acreditas que HOJE se tem condição para que os integrantes fiscalizem quem recebe? Como eles farão isso em São Paulo por exemplo? Vão na casa de cada família? vão pesquisar em todos os cartórios? vão verificar a declaração do IR de cada um? É inviável Flávia!

Podemos sim, tendo bases de dados qualificadas, fazer com que o sistema aplicativo faça essa verificação automaticamente. Na hora em que for informado uma família o sistema de forma automática vai verificar o patrimônio de cada pessoa da família, a quantidade de filhos, a renda etc. e ver se a pessoa tem esse direito, ou melhor ainda, o próprio sistema aplicativo vai listar todas as pessoas/famílias que estão no direito de receber o benefício, sem a necessidade das filas, dos recadastramentos etc..

Acredite, isso é POSSÍVEL, mas se faz necessário a QUALIFICAÇÃO de nossas bases de dados, não o constante recadastramento, o dinheiro gasto com recadastramento sem a preocupação de depois se manter a informação atualizada é dinheiro público desperdiçado. A informação é recadastrada e já está desatualizada, pois ela está parada.

A informação é dinâmica, está em constante atualização, está constantemente se modificando, por isso TODA a sociedade necessita participar de sua manutenção, mas para tal, se faz necessário a elaboração de um PLANEJAMENTO.

Não é cansativo em todo o lugar que se chega ter que se identificar, nome, filiação, endereço, telefone, estado civil etc.? Quero chegar no hospital, colocar a minha digital e o sistema informar toda a minha vida hospitalar, quero que quando for me inscrever em um concurso, da mesma forma, o sistema informar o meu curriculo sem eu ter que apresentar uma quantidade de documentos, provar que eu sou eu, que eu tenho essa formação.

Falas em cruzar a informação. Flávia, hoje é inviável. Porque? Porque não existe padronização, não existe uma chave única. Por exemplo, se o gestor público quiser mostrar no mapa, com uma ferramenta de geoprocessamento, os imóveis que possuem ligação de luz, água, gás, saneamento etc. eu terei que pegar esses dados em cada uma destas concessionárias. Agora, observe em suas contas se o endereço de cada uma dessas concessionárias é o mesmo. Já morei em um apartamento que cada uma delas tinha um bairro diferente, ou seja, para o sistema serão 4 imóveis distintos, um tem água e não tem o resto, e assim sucessivamente. Entendes? Para o sistema são imóveis diferentes, localizados em locais diferentes. O sistema não consegue saber que as ruas deputado José Lages e dep. José Lages são as mesmas, para o sistema são ruas diferentes.

Mas, a forma que EU acho que deva funcionar é a MINHA interpretação, é apenas uma sugestão, porque o que importa é que essa discussão seja levada para a sociedade, que a sociedade execute o Planejamento Estratégico da Informação Brasileira.

Por exemplo: eu posso saber qual o seu patrimônio? Eu sinceramente acho que sim, acho que o sigilo só interessa a uma minoria que está usurpando, se apropriando indevidamente do que a sociedade vem produzindo e do solo brasileiro, mas quem tem que definir isso é a sociedade.

Entendo que no plebiscito das armas quem ganhou foi o capital, mas o principal ganho foi o debate que a sociedade travou, foi o aprendizado da prática da decisão democrática.

Vou parar por aqui, me desculpado pelo tamanho do texto, e esperando que tenha acrescentado algo...

Que tenhamos TODOS uma semana bemmmmmmmmmmmmmmmmmm boa!

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
27/03/12 12:16 em resposta a Flavia Loureiro.
Flávia faço suas as minhas considerações. O dever é de todos e não vejo sentido nem democracia em se padronizar informações, mesmo porque existem direitos que não podem ser violados em detrimento de uma máxima de pessoas que não se interessam pela democracia, pelo exercício dos deveres.
Não sou a favor de ditar uma regra geral de como devem ser aplicadas ou não, mas procurar meios para que todos façam o dever de casa.
)0(

E acrescentando o que já havia falado, penso que os dois verbos devem caminhar juntos, qualificar e transparecer.
Bom dia a todos!

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
27/03/12 13:57 em resposta a joaquim gonçalves.
No meu modo de pensar o primeiro tem de ser qualificar , pq hoje em dia tem muitas pessoas estudas,ou seja , formadas. mas que realmente tem capacidade de de ocupar certos cargo de ,ou seja, empregos são poucas ,devidos não terem uma boa qualificação profissional. as vezes pesamos que so por termos colação somos capazes de exerce qualquer função ,so que não e assim pq primeiros termos de ser bem qualificados, ter bom curriculun ,e saber realmente lidar com cada problema. Mas no entanto temos que saber tbm transparecer ,inpor e esclarecer as coisas de maneiras claras para as pessoas poderem intender melhor a agente.


DESTE JA AGRADEÇO OPORTUNIDADE.

QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
27/03/12 15:24 em resposta a Monica Bragança Pinheiro Tammela.
Bom dia a todos!

Prezada Mônica Bragança Pinheira Tammela,

Não entendi bem o que entendes por padronizar informações.

O que eu entendo é que necessitamos conhecer quem somos, como e onde vivemos.

O que eu entendo é que necessitamos ter informações verdadeiras, por exemplo: não achas que será importante se pudermos conhecer na realidade quem são os proprietários de imóveis no Brasil.

Não falo EU conhecer, falo o Estado, falo o Brasil conhecer.

E mais, podes imaginar o patrimônio usurpado que poderá ser recuperado pelo Estado brasileiro e a consequente revolução social que poderá ser feita se fizermos o cruzamento entre uma base real dos proprietários do solo brasileiro com o que estes declararam no Imposto de Renda?

Acreditas que hoje essa base real exista? Te garanto que não!

O que as pessoas fazem com a informação, como elas trabalham, para que elas usam, dentro de uma definição feita pela sociedade como um todo, eu entendo que não deva ser padronizado, se é disso que falas, mas para que possamos ter informações qualificadas, repito, a respeito de quem somos, como e onde vivemos, é necessário sim um planejamento e padronização.

Falo dentro de uma definição feita pela sociedade porque hoje um malandro morando a milhares de quilômetros de uma pessoa tem acesso em qualquer esquina a dados referente a uma determinada pessoa tais como, o celular, as contas correntes / bancos onde é correntista, a filiação, as escolas que os filhos estudam, ao seu patrimônio etc. e ligam fazendo chantagem emocional, pedindo resgates etc..

Sou conceitualmente contra o sigilo, mas penso que deva haver uma normatização quanto ao acesso, a disponibilização, mas que essa normatização seja definida pela sociedade como um todo, repito, a informação tem poder, ela não pode estar sendo definida pelo grupo dominante.

Veja bem, se na hora de atualizar o dado sexo de uma pessoa, uma pessoa cadastrar M de masculino e a outra cadastrar M de mulher nunca poderá se saber de forma sistêmica quantas pessoas do sexo masculino e feminino existem.

Outro exemplo, seguindo as observações da própria Flávia Loureiro, não achas que é importante a definição de quem registra os filhos no cadastro de bolsa família?

Qualquer um pode atualizar esse dado? Não temos que planejar, padronizar, responsabilizar etc. como será feita a atualização deste dado?

Mas concordo contigo quando diz: penso que os dois verbos devem caminhar juntos, qualificar e transparecer.

Eu apenas provoco essa discussão destacando o qualificar porque entendo que hoje a maior carência é essa, qualificar.

Acredite quando digo que o que temos hoje é uma bagunça de dados, com raríssimas exceções, que pouco representam a realidade referente a quem somos, como e onde vivemos.

Sempre agradecido por participar desta rica experiência...

Desejando a TODOS um dia bemmmmmmmmmmmmmmmmmmm bom!

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
27/03/12 16:17 em resposta a andreia de souza feitosa miranda.
sim ,Andreia concordo em genero numero e grau que temos que capacitar;Entao capacitar pra que,temos que participar e quando as necessidades vao aparecendo ai sim vamos capacitar para termos bagagem para uma melhor discussao sobre os assuntos .Justamente ai faço minha colocaçao de nao so reclamar mas nao mover uma palha para resolver o problema ok. so teremos exitos com participaçao o nos dois e tantosoutros estao participando desta conferencia virtual.

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
27/03/12 17:10 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Bem, André vamos por partes.

Quando falei da padronização foi de uma ditadura de informações, de um padrão normatizado, mesmo porque isto não acontece em sistema democrático e com a liberdade tendo que imperar. Claro que seguimos padrões que são normatizados, mas mesmo estes possuem uma flexibilidade, sou a favor da flexibilidade e não de ditaduras, sejam elas quais forem.

Quanto a nos conhecermos, eu e muitos cidadãos já estamos neste processo, mas sem EDUCAÇÂO povo algum se conhece, se respeita. Somos um engôdo desde a nossa colonização e modificar este painel é complexo, não vejo saída, apenas com a EDUCAÇÂO de qualidade formando cidadãos críticos e conscientes, talvez assim consigamos mudar a genética social brasileira corrompida e corruptora.

Sou contra veementemente a invasão de privacidade e anulação dos direitos democráticos de qualquer cidadão, como expor a vida financeira patrimonial das pessoas, quem tem que saber já sabe, agora se o sistema é corrupto é um outro assunto, por isso reforço, só com cidadãos conscientes e críticos podemos extirpar a corrupção de todos as instãncias sociais, inclusive dos cidadãos que alimentam tais seguimentos com propinas, facilitações e etc.

Acredito que se existe um Estado corruptor, existe um povo que o corrompe e para se fazer uma revolução social, primeiro o cidadão precisa apreender conhecimentos e empoderamentos de seu papel dentro da sociedade; matemática básica, direitos e deveres, deveres e direitos. Não se faz uma revolução social com uma maioria vivendo dentro da caverna, vide o Mito de Platão.

E se a informação está sendo exercida pelo poder dominante é porque o poder dominado o alimenta e é conveniente ainda com tal sistema, e do jeito que somos como Nação, alienada e desinformada, muito por conveniência e por compartilharem da Lei de Gerson como prática de vida, vamos aumentar o Caos em que vivemos, porque se a Nação do jeito que está tiver poder, tenha certeza, será pior do que o poder vigente, pois a Ignorância é vizinha da maldade e a Escuridão precede a Luz e é sua mãe, sem clareamento das ideias e entendimento dos conceitos voltamos para a bárbarie.

Muita coisa positiva está a caminho e está caminhando, vide os movimentos todos em favor do empoderamento dos seguimentos sociais, mas é complicado, já que não temos uma identidade histórica, mas o caminho já foi desbravado, com passos de formiguinha chegaremos lá, vai demorar, claro que vai, mas se ontem não tínhamos este debate, ora que bom, já temos agora e isto é empoderamento do coletivo. Mas, mudar séculos de história malfadada, de uma escória colonizadora abandonada aqui para povoar as terras brasilis e tomar posse é tarefa que nem Hércules consegue, ainda mais se ele estiver sozinho.

Você fala da questão do gênero feminino e masculino, a norma é fácil (F) para feminino e (M) para masculino, é onde entra a padronização (ABNT) criada para facilitar a vida das pessoas, se alguém por ventura resolveu mudar isto porque acha mais bonitinho, será por pura ignorância, falta de conhecer e aplicar (F) para feminino e (M) para masculino, entendeu? Compreende como a educação é condição sine qua non para se evoluir? Se o conhecimento existisse e fosse aplicado como consciência tal "erro" não aconteceria e informações erradas muito menos.

Por isso os organismos sociais civis e públicos ligados ao desenvolvimento estão criando caminhos e cursos estão sendo ofertados; existem cursos para todos os gostos e nível de instrução, alguns são complexos, claro que são, quantas pessoas no Brasil podem compreender o conteúdo programático de um curso de cadastro, por exemplo, multifinalitário????? Somos mais de 70% de analfabetos, somos uma hipocrisia e precisamos enxergar o país como somos na realidade, sem firulas, sem maquiagens borradas de uma Nação poderosa e instruída, somos poderosos sim economicamente, como nunca fomos, mas ainda somos pobres em instrução e sem ela, não chegaremos nunca a lugar algum e seremos sempre este Caos ambulante, perpetuado por décadas.

E temos instituições que emperram ainda mais o crescimento educacional da população, impedindo o empoderamento, o cárcere das religiões fundamentalistas que embotam as pessoas e as jogam na caverna da ignorância e assim perpetuam este poder nojeto, opressivo e exclusivista. É um outro contexto sério a ser combatido, que também é corruptivo, pois cerceia a liberdade e isso é corrupção. Então, sabe quando temos que primeiro limpar as gavetas e jogar fora o que não presta e atrapalha? É isso que precisamos fazer, lutar pela democracia, pela liberdade, pelos direitos e pelos deveres, mas olhando o TODO e TUDO que inibe o processo democrático. Banir a ignorância por falta de oportunidade e por vontade!

)0( Bjs a todos!

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
27/03/12 17:06 em resposta a André Weinmann Carneiro.
minha opiniao e transparecer por que qualificar podemos obter com as oportunidades que surgiram

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
27/03/12 18:00 em resposta a Monica Bragança Pinheiro Tammela.
Bom dia a todos!

Prezada Mônica Bragança Pinheiro Tammela,

Sim, em momento algum questionei/questiono que a educação é essencial para se evoluir!

Cientes ficamos sãos. É a cientificação! rs

Mas, aqui neste momento, entendo que falamos em transparecer principalmente as informações que estão registradas nos sistemas aplicativos, nas bases de dados, registradas de forma digital nos órgãos públicos brasileiros. É isso que estou vendo nas propostas apresentadas. Concordas?

Quando eu falei em conhecer quem somos, como e onde vivemos, estou falando do que está registrado nos bancos de dados, e não na procura individual de cada um.

Por exemplo em nenhuma base de dados existe o meu histórico hospitalar, o que seria de grande utilidade para as políticas públicas de saúde.

Então, vamos tentar ser práticos: achas que a gestão da informação pública brasileira deva continuar a cargo dos gestores públicos, armazenando o que bem entendem, quando bem entendem, onde bem entendem, ou a sociedade como um todo deve participar desta gestão, planejando, acompanhando, verificando?

Sempre agradecido por participar desta rica experiência...

Desejando a TODOS um dia bemmmmmmmmmmmmmmmmmmm bom!

Saúde e Paz!

André Weinmann Carneiro
82 9973-5068
msn erdnacarneiro@hotmail.com

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
28/03/12 03:15 em resposta a André Weinmann Carneiro.
Boa noite a tod@s!

André,

Há momentos em que qualquer um de nós pode ter dificuldades de se expressar.
Isto é mais comum do que você pensa. Às vezes é complicado colocar as idéias no papel.
A todo momento, estamos aprendendo. Em qualquer lugar. Numa reunião, num papo, no telefone, neste fórum. Nunca vamos sair iguais como entramos.

Veja bem. Se analisar o significado de "necessitado" e de "carente", vemos que são sinônimos e significam "Aquele a quem faltam as coisas necessárias à vida." Podendo ser tanto material, social, cultural, espiritual ou ambiental.

Você coloca uma questão muito interessante. Simplificando: saber quem é pobre e quem é rico, ao qual lhe: "É essa informação que precisa ser transparecida". (?) Para quê?

Ou, o fato de ter emprego, morar em uma casa, ter uma geladeira, me fazem uma pessoa rica em comparação a aquele que não tem ? Trabalho por hobby ? Por que não tenho o que fazer ? Minhas contas se pagam sozinhas ? Sustentando minha família com ar ? Como ficam minhas dívidas? Por isto devo pagar mais impostos ?

O que estou querendo dizer é que se queremos que tod@s sejam tratados como iguais, estão precisamos parar de tratar uns diferentes dos outros.

Uma pessoa "pobre" pode ser rica de experiências, vivências e amizades. Uma pessoa "rica" pode ser pobre culturalmente e socialmente, estar sempre doente e só.

Entendo que considere "dúvidosas" as informações provenientes de determinadas pessoas e situações. Assim como as limitações do poder público; dentre outras " irregularidades". As obrigações sobre procedimentos dos órgãos públicos já existe. Isto é fato. Para isto há caminhos próprios para procurar, cobrar e denúnciar.
Assim como o que acha ideal. Pode até ser uma boa idéia. Vai depender muito o que ela representa ou lembra. Está indo além de ser Controle Social. Pode caracterizar "invasão de provacidade". Na época da Ditadura tudo era relativamete controlado.

Ao invés de se criar mais um item para por "a casa em ordem", deveriamos cobrar a efetiva implantação e fiscalização do que já existe, e aí quem sabe; até aprimorar como sugere, divulgando por exemplo:

- RIC ( Registro de Identidade Civil) O novo RG brasileiro unificará documentos como o RG, CPF, Título de eleitor, entre outros. Também será servido de um chip que armazenará informações do portador, tais como cor da pele, tipo sanguíneo, peso, altura, informações trabalhistas, previdenciárias e criminais, e outras.

- Cartão SUS possibilita a vinculação dos procedimentos executados no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS).

- Sistema de Controle de Óbitos (Sisobi), da Previdência Social - Cartórios são obrigados a comunicar os falecimentos mensais de forma rápida, impedindo as fraudes com o pagamento de benefícios indevidos.

Concordo que é necessário qualificar para tornar possível várias coisas. Isto nos remete de volta a Educação.

Para termos uma melhora de vida, é necessário se informar, estudar, pesquisar, conhecer a questão que se quer resolver ou tratar.

Abraços
Flavia Loureiro

RE: QUAL O VERBO QUE DEVEMOS CLAMAR PRIMEIRO: QUALIFICAR OU TRANSPARECER!
Resposta
28/03/12 03:17 em resposta a Monica Bragança Pinheiro Tammela.
Monica
Boa noite.
Agradeço a consideração e concordo com as suas colocações.

Flavia Loureiro

Mostrando 1 - 20 de 29 resultados.
de 2