Exportação de Dados do Fórum

Fórum

Liberação para importação de carro usado

Compartilhe este tópico:
Tópicos [ Anterior | Próximo ]
ASSUNÇÃO - O Paraguai se converteu no principal destino sulamericano de carros usados de países como Japão e Estados Unidos. Uma regulamentação mais permissiva das importações facilitou a compra de automóveis de segunda-mão no exterior. Carros semi-novos são vendidos por menos de R$ 10 mil.

Conhecidos como 'autos de Iquique' - nome do porto chileno por onde os veículos chegam ao Continente - os veículos importados de segunda mão se transformaram em um fenômeno no país, onde circulam depois de ser transportados por milhares de quilômetros e serem transformados ou reparados em solo paraguaio.

"Os preços que oferecemos são bons", explica o revendedor de usados Francisco Lopez, que tem uma loja em Assunção onde vende carros de segunda mão importados do Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos.

Os preços variam a partir de 20 milhões de guaranis, o equivalente a R$ 9,5 mil. "O problema é que o mercado cresceu muito, pois muitos comerciantes de veículos perceberam que este é um bom negócio", admite Lopez.

Um representante da Direção Nacional de Aduanas informou à agência de notícias Efe que a importação subiu de 3,2 mil unidades em 2003 para 35 mil em 2008 e mais de 55 mil no ano passado.

Enquanto isso, a importação de veículos novos foi de 28,8 mil no ano passado, 1,72% a menos que em 2011, segundo a Câmara de Distribuição de Automóveis e Máquinas do Paraguai.

Entre janeiro e março deste ano o Paraguai importou 23,3 mil automóveis. Desse total, 16,1 mil eram usados.
Os dados do primeiro trimestre refletem um aumento de 14% na importação de carros usados em relação ao mesmo período do ano passado.

A chegada ao Paraguai dos carros usados é o fim de um longo processo que se inicia quando eles são descartados em seu país de origem. Eles são transportados de navio até Iquique, no Chile, e depois seguem em caminhões até o Paraguai. Antes de serem revendidos, são revisados e, quando chegam do Japão, são adaptados com a transposição do volante para o lado esquerdo.

O transporte encarece o preço final em cerca de US$ 2 mil, o equivalente a R$ 4 mil, mas ainda assim eles são mais vantajosos do que a compra de um modelo zero quilômetro.

O aumento da importação se ampara em uma legislação que permite a compra de carros usados de até dez anos no exterior. O Peru e a Bolívia limitam a compra a carros de até cinco anos, enquanto o Brasil e a Argentina proíbem totalmente a importação de usados.

"Dizem que os carros usados emitem mais poluentes, mas isso não é verdade, por revisamos todos eles e adaptamos outras peças quando necessário", defende-se o revendedor Lopez.