Exportação de Dados do Fórum

Fórum

Remuneração dos parlamentares

Compartilhe este tópico:
Tópicos [ Anterior | Próximo ]
Remuneração dos parlamentares
reforma política remuneração dos parlamentares salário dos professores auxílios bolsas equiparação salarial qualficação profissional
Resposta
24/07/13 18:35
Não há cidadão brasileiro algum que aprove a remuneração e os tantos auxílios concedidos aos parlamentares.

Se um professor recebe 1/10 (ou menos) do ordenado de um deputado, por que este ainda recebe auxílio-moradia? O trabalhador comum tem de pagar: sua moradia (seja pelo Minha Casa Minha Vida ou por outras formas de financiamente, ou paga aluguel a vida toda); suas contas de telefone, tv a cabo, e internet (inclusive para participar do e-Democracia e do Participatório), enfim, custeia integralmente, com seu parco salário, suas despesas. Até o vale-refeição e o vale-transporte são descontados de seu salário! E quando o trabalhador quer passear, se divertir, ele também tem de se 'virar' para que esse direito, constitucionalmente a ele assegurado, seja concretizado. Mas na maioria dos casos, fica só na vontade, reduzindo-se o lazer a momentos plim-plimáticos, em frente à tv , assistindo o que nem deveria ser permitido em canal aberto. O trabalhador não tem direito às regalias de quem o representa. Não pode usar avião fretado da Força Aérea Brasileira. Tem de se deslocar para onde queira com transporte coletivo pago com veículo próprio, que também onera o seu orçamento. Mas ao menos temos, aqui, o direito de ir e vir... Ufa! Não estamos em Cuba. E ainda que nos alimentemos melhor do que em Cuba, aqui, ninguém custeia a alimentação do trabalhador; pois nem todos vivem de Bolsa-Família, que, de qualquer modo, e é infinitamente menor do que qualquer auxílio concedido aos parlamentares. E isso que alimentação é o ultra-mega-tera necessário a qualquer pessoa, assim como o é o direito a um sistema digno e público de Sáude (não gratuito, pois pagamos impostos). Por outro lado, os parlamentares, mesmo os honestos, vivem como "empresários", "reis", sendo que o Brasil é uma Democracia.

Se os parlamentares não equiparem seus salários aos dos professores, ao menos tenham formação superior condizente com o cargo que ocupam. Afinal, qualquer pessoa sabe que, quanto mais qualificado alguém é, a faixa salarial de um trabalhador corresponde à sua qualificação profissional. Agora me digam: 20 Mil Reais não é uma remuneração de engenheiros ultra gabaritados, de médicos ultra especializados, de professores PHDs? Então por que um deputado, muita vez sem formação alguma em nível superior, receberá o mesmo que alguém especializado profissionalmente?!

Diminuam as regalias dos parlamentares, combatamos a corrupção; então teremos como aumentar o salário mínimo e o piso de muitas classes que atualmente são aviltadas, como a de professores e policiais.

Cristian Rogers S. D.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
24/07/13 19:44 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
Candidaturas Avulsas - aceita por 90% das democracias

De acordo com pesquisa publicada no Jornal do Senado de 15/06/2009, mais de 90% das democracias do planeta admitem candidaturas avulsas, em que não é necessário filiar-se a qualquer partido político para concorrer nas eleições.

Em geral, basta que o cidadão recolha a assinatura de 2% do eleitorado para àquele cargo para candidatar-se.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
24/07/13 19:53 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
Cristian Rogers S. Dequi:
Não há cidadão brasileiro algum que aprove a remuneração e os tantos auxílios concedidos aos parlamentares.

Se um professor recebe 1/10 (ou menos) do ordenado de um deputado, por que este ainda recebe auxílio-moradia? O trabalhador comum tem de pagar: sua moradia (seja pelo Minha Casa Minha Vida ou por outras formas de financiamente, ou paga aluguel a vida toda); suas contas de telefone, tv a cabo, e internet (inclusive para participar do e-Democracia e do Participatório), enfim, custeia integralmente, com seu parco salário, suas despesas. Até o vale-refeição e o vale-transporte são descontados de seu salário! E quando o trabalhador quer passear, se divertir, ele também tem de se 'virar' para que esse direito, constitucionalmente a ele assegurado, seja concretizado. Mas na maioria dos casos, fica só na vontade, reduzindo-se o lazer a momentos plim-plimáticos, em frente à tv , assistindo o que nem deveria ser permitido em canal aberto. O trabalhador não tem direito às regalias de quem o representa. Não pode usar avião fretado da Força Aérea Brasileira. Tem de se deslocar para onde queira com transporte coletivo pago com veículo próprio, que também onera o seu orçamento. Mas ao menos temos, aqui, o direito de ir e vir... Ufa! Não estamos em Cuba. E ainda que nos alimentemos melhor do que em Cuba, aqui, ninguém custeia a alimentação do trabalhador; pois nem todos vivem de Bolsa-Família, que, de qualquer modo, e é infinitamente menor do que qualquer auxílio concedido aos parlamentares. E isso que alimentação é o ultra-mega-tera necessário a qualquer pessoa, assim como o é o direito a um sistema digno e público de Sáude (não gratuito, pois pagamos impostos). Por outro lado, os parlamentares, mesmo os honestos, vivem como "empresários", "reis", sendo que o Brasil é uma Democracia.

Se os parlamentares não equiparem seus salários aos dos professores, ao menos tenham formação superior condizente com o cargo que ocupam. Afinal, qualquer pessoa sabe que, quanto mais qualificado alguém é, a faixa salarial de um trabalhador corresponde à sua qualificação profissional. Agora me digam: 20 Mil Reais não é uma remuneração de engenheiros ultra gabaritados, de médicos ultra especializados, de professores PHDs? Então por que um deputado, muita vez sem formação alguma em nível superior, receberá o mesmo que alguém especializado profissionalmente?!

Diminuam as regalias dos parlamentares, combatamos a corrupção; então teremos como aumentar o salário mínimo e o piso de muitas classes que atualmente são aviltadas, como a de professores e policiais.

Cristian Rogers S. D.


"só desta forma existirá uma real reforma política"

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
24/07/13 21:05 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
Essa questão da remuneração é muito complicado, o que salta à vista é que estamos pagando caro porque estamos pagando o preço de um deputado da Suíça e recebendo em troca um deputado da Botocundia. O que queremos mesmo é pagar um preço justo e receber em troca um produto minimamente aceitável!!!!

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
24/07/13 21:28 em resposta a Marcos Marinho de Medeiros.
Complicada?!?
A única complicação está em mantermos ou não os corruptos no poder. Creio que Monteiro Lobato, com sua força de furacão, certamente apoiaria o levante do povo de Botocúndia (Brasil) por uma Reforma Política que colocasse nos seus devidos lugares a competência, o mérito e o esforço dos trabalhadores; e, consequentemente, a devida remuneração dos profissionais e dos políticos. Ou... esperemos que o Saci apronte algumas pros nossos parlamentares.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
24/07/13 21:30 em resposta a Luis Eduardo Rego Freitas.
FIDELIDADE: AO POVO OU AO PARTIDO?
Por Cristian Rogers S. D.

Quem elege o candidato a cargo eletivo: o eleitor ou o partido? O partido?! Só nesse sistema que privilegia partidos e coligações que recebem mais votos: o medonho cálculo da razão entre quoficiente eleitoral e quoficiente partidário. Quando isso acabar, porém, o candidato poderá bater no peito e dizer: "Fui eleito pelo povo, que confiou a mim: o seu voto; a sua vontade; os seus direitos e a sua esperança.

Quem elege um candidato, de qualquer modo, é o eleitor. O Povo!

A fidelidade partidária, pois, se levado ao extremo, é outro contrassenso: a fidelidade se deve em primeira instância à própria consciência; e vinculada a essa, a fidelidade se estende ao eleitor, não ao partido. Se não fosse desse modo, bastaria disporem nas eleições as legendas dos partidos políticos; os mais bem votados teriam direito, pelo cálculo do quoficiente partidário, a eleger, ao gosto do partido, os seus filiados. Já que o mandato não é do candidato, mas do partido, como alguns dizem. E é claro que eles estão sendo tendenciosos.

Vocês falam em fidelidade, ideologia, expulsão do partido e perda de mandato a quem não for 'fiel' a um partido... Quem defende isso deve ser comunista, só pode!

É evidente que se alguém faz parte de um partido, já que o TSE exige filiação partidária de todo candidato a cargo eletivo:
- O filiado deve manter certa afinidade com o partido, já que poderia de antemão filiar-se a um partido com o qual melhor se identificasse. Mas se as pessoas não são fiéis na plenitude nem aos dogmas religiosos, por que acham que, politicamente, elas seriam fiéis a um partido? Aliás, fidelidade não equivale a ser sectário, cego, surdo, mudo, submisso. Muitas questões levantadas em dado momento por qualquer partido podem destoar dos princípios morais, políticos de seus candidatos: seria difícil, se não impossível, separar Moral e Política. A não ser que queiramos manter a corrupção. O fato de alguém ser filiado a um partido não quer dizer que ele deixou de pensar por si, nem que virou as costas para a vontade do povo, que vez e outra podem destoar das propostas de dado partido. E, de qualquer modo, o candidato representa o povo, não o partido.

Se continuarem defendendo essa "fidelidade"... partidária, por certo a candidatura avulsa deverá ser uma realidade após a Reforma Política. Ao menos para garantir que alguém será fiel ao povo.



Participe do fórum --->http://bit.ly/13ERSr5

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 00:12 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
Acredito que os políticos deveriam ter suas regalias cortadas e receber de acordo com a CLT, como qualquer trabalhador. E mesmo assim bem menos que recebem hoje, e trabalhando as 44 horas que eles querem que as pessoas trabalhem. O salários deles deveria ser regido por iniciativa popular ou algo parecido.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 01:30 em resposta a Bruno Pio.
Bruno Pio:
Acredito que os políticos deveriam ter suas regalias cortadas e receber de acordo com a CLT, como qualquer trabalhador. E mesmo assim bem menos que recebem hoje, e trabalhando as 44 horas que eles querem que as pessoas trabalhem. O salários deles deveria ser regido por iniciativa popular ou algo parecido.


Se recebessem conforme a CLT, seus ordenados seriam MUITO MENORES do que o são.
Concordo que todo político deva cumprir carga horária, comprovada. Eis que isso também seria um tanto difícil de controlar, já que muitos alegam trabalhar fora dos seus gabinetes e das "Casas" onde representam nossos direitos. Dizem que estão trabalhando ao viajar para lá e para cá, nas muitas reuniões, obras, visitas... Enfim. E ainda por cima, ganham "diárias"...

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 01:43 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
Ora muito simples , o salario dos politicos deveria ser lincado com o salario minimo ,nao sao servidores publicos entao , do mesmo jeito que seja 10 salaries minimos mas que acabe com a indecencia de aumentar o proprio salario.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 02:28 em resposta a Diego Rodrigues.
Diego Rodrigues:
Ora muito simples , o salario dos politicos deveria ser lincado com o salario minimo ,nao sao servidores publicos entao , do mesmo jeito que seja 10 salaries minimos mas que acabe com a indecencia de aumentar o proprio salario.


Concordo contigo, Diego: é uma indecência, empregaste bem a palavra, que o Legislativo e inclusive o Judiciário sejam tão favorecidos, pra não dizer outra coisa.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 15:56 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
O salário de parlamentares deveria ser vinculado ao Salário Mínimo, e as regalias cortadas. Um cargo eletivo deve ser uma honraria, não um privilégio.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 16:33 em resposta a Matheus Boni Bittencourt.
Matheus Boni Bittencourt:
O salário de parlamentares deveria ser vinculado ao Salário Mínimo, e as regalias cortadas. Um cargo eletivo deve ser uma honraria, não um privilégio.



Até concordo que o eleito a cargo político deva ser uma pessoa honrada, mas discordo que a eleição deva ser considerada tanto um privilégio, como tu bem salientaste, Matheus, quanto uma honraria. Afinal de contas, só poderíamos falar em honraria se e quando um político, ao fim de seu mandato, tivesse honrado os votos que recebeu para nos representar. A eleição, portanto, deve ser considerada como um depósito de fé, pelo que o político deve se sentir honrado e deveria, a priori, ser uma pessoa honrada. Mas confundamos uma eleição, por exemplo, à Academia Brasileira de Letras, em que realmente alguém demonstrou habilidade e notoriedade previamente em uma área de saber e exercício profissional, com uma a cargo político.

A diferença é sutil, mas muito ampla.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 17:54 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
Abaixo-assinado ACABAR COM SALÁRIOS DOS VEREADORES EM TODO O BRASIL.

Para:CONGRESSO NACIONAL DO BRASIL

- VOCÊ SABIA QUE DOS 181 PAÍSES que fazem parte da ONU, APENAS o Brasil é o único país que paga salários aos seus vereadores.

- ATÉ 1977, apenas vereadores das capitais recebiam um modesto valor á título de ajuda de custo. Devemos analisar e voltar as origens democráticas.

- Em todos os outros países, o trabalho de vereador é voluntário ATUALMENTE, encarado pelos cidadãos como um dever público para com sua comunidade, sendo exercido sem qualquer custo para os cofres da municipalidade.

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N22676

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
25/07/13 18:34 em resposta a Almanakut Brasil.
Almanakut Brasil:
Abaixo-assinado ACABAR COM SALÁRIOS DOS VEREADORES EM TODO O BRASIL.

Para:CONGRESSO NACIONAL DO BRASIL

- VOCÊ SABIA QUE DOS 181 PAÍSES que fazem parte da ONU, APENAS o Brasil é o único país que paga salários aos seus vereadores.

- ATÉ 1977, apenas vereadores das capitais recebiam um modesto valor á título de ajuda de custo. Devemos analisar e voltar as origens democráticas.

- Em todos os outros países, o trabalho de vereador é voluntário ATUALMENTE, encarado pelos cidadãos como um dever público para com sua comunidade, sendo exercido sem qualquer custo para os cofres da municipalidade.

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2012N22676


Já acho difícil que diminuam seus salários, que dirá suspenderem o de vereadores.

Penso que, se alguém trabalha, merece salário. Mas condizente com seu cargo. Para vereador, não mais que 2 Mil Reais.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
27/07/13 20:51 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
1. fim do voto secreto no legislativo;
2. extinguir o voto de lideranças;
3. abolir a sistemática de votação do tipo “quem estiver a favor permaneça como está”;
4. financiamento de campanha exclusivamente público;
5. divulgação na internet despesas de campanha: data, hora, cidade, uf, CNPJ/CPF, nome recebedor, finalidade, valor etc;
6. regulamentar PLEBISCITOS e REFERENDOS (Projetos de Lei nº 4.718/2004 e 6.928/2002);
7. regulamentar CONSULTA POPULAR para revogar mandatos (PLS nº 269/2005 e 82/2003);
8. implementar a revogação e o veto popular (PEC 80/2003);
9. voto distrital misto;
10. princípios mínimos obrigatórios em estatutos e regimentos internos dos partidos: democracia interna, transparência;
11. prazo mínimo de 5 (cinco) anos de filiação para concorrer a cargos internos e eletivos, critérios para indicação para concorrer a cargos eletivos etc;
12. lista fechada ou mista, composta por voto direto dos filiados do partido;
13. proibir coligações partidárias para cargos proporcionais;
14. reduzir o período de propaganda eleitoral para, no máximo, 30 dias corridos;
15. permitir propaganda em rádio e TV somente ao vivo, sem produção de agências de publicidade;
16. regulamentar o formato dos debates entre candidatos ao Executivo;
17. definir prazo máximo para tramitação de propostas no legislativo (9 meses);
18. reduzir a quantidade mínima de assinaturas para apresentação de projeto de iniciativa popular;
19. voto facultativo;
20. abolir as emendas parlamentares ao Orçamento Geral da União;
21. extinguir o foro privilegiado e a imunidade processual para crime comum;
22. abolir as medidas provisórias ou instituir mecanismo que obrigue votação imediata, em até 30 (trinta) dias, no máximo;
23. concurso para ministros dos tribunais, revogar a indicação pelo Executivo;
24. eliminar a concessão de subsídios a vereadores nos municípios com menos de 100.000 habitantes;
25. extinguir o instituto da reeleição, inclusive para o legislativo;
26. estabelecer mandatos de 5 (cinco) anos e realizar eleições anuais;
27. no 1º ano, eleições para vereadores e deputados estaduais/distritais;
28. no 2º ano, para prefeitos municipais;
29. no 3º ano, deputados federais e senadores;
30. no 4º ano: governadores;
31. no 5º ano: presidente da república;
32. extinguir o Senado e transformar o parlamento em unicameral;
33. reduzir o mandado de senador de 8 para 5 anos;
34. quebra automática de sigilo (fiscal, bancário e telefônico) a partir do registro de candidatura a qualquer cargo eletivo (PEC 42/2007);
35. quebra automática de sigilo (fiscal, bancário e telefônico) a partir da posse em cargo público eletivo ou de livre provimento;
36. detentores de cargos públicos indiciados, investigados, denunciados sejam afastados, automática e temporariamente (6 meses);
37. retenção de passaporte, bloqueio de bens, quebra de sigilo (fiscal, bancário e telefônico) de autoridades denunciadas;
38. proibir qualquer propaganda paga por órgãos públicos;
39. garantir informes de utilidade pública na TV de forma gratuita, obrigatória e prioritária;
40. proibir o uso de cavaletes, bandeiras e carro de som na propaganda eleitoral;
41. proibir a divulgação de pesquisas eleitorais;
42. instituir mecanismos rigorosos e eficazes sobre fidelidade partidária;
43. divulgação, na internet, de declarações de renda e patrimônio dos ocupantes de cargos públicos eletivos e de livre provimento;
44. posse em cargo eletivo condicionada a desfecho de eventuais processos a que responda o candidato;
45. organizar a pauta do legislativo de acordo com a ordem de entrada: “primeiro a entrar primeiro a sair”;
46. parlamentares só nomear, no máximo, 5 (cinco) assessores em cargos de livre provimento;
47. conceder a parlamentares federais, no máximo, 2 (duas) passagens (ida/volta) à capital de origem, por mês;
48. parlamentar que deixar de comparecer a mais de 1/10 (um décimo) das sessões legislativas de cada ano perderá o mandato.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
06/08/13 06:47 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
FIM DE TODAS AS REGALIAS PARA PARLAMENTARES. QUE VIVAM COMO NÓS VIVEMOS, DO NOSSO SALÁRIO!

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
06/08/13 14:14 em resposta a Cristian Rogers S. Dequi.
3. abolir a sistemática de votação do tipo “quem estiver a favor permaneça como está”;
Edivan, tenho a impressão que muitas vezes concordam apenas para não se dar ao trabalho de falar. Pura preguiça.

RE: Remuneração dos parlamentares
Resposta
06/08/13 14:23 em resposta a Renata Durigon.
Renata Durigon:
3. abolir a sistemática de votação do tipo “quem estiver a favor permaneça como está”;
Edivan, tenho a impressão que muitas vezes concordam apenas para não se dar ao trabalho de falar. Pura preguiça.



Concordo em abolir... mas não por achar que é preguiça... mas por usarem em manobras... pois pode pegar uma bancada desprevenida...