Exportação de Dados do Fórum

Fórum

fim das coligações

Compartilhe este tópico:
Tópicos [ Anterior | Próximo ]
Mostrando 1 - 20 de 28 resultados.
de 2
fim das coligações
Resposta
24/07/13 16:34
Todo partido tem sua linha de pensamento e com isso sua ideologia política. A coligação mistura tudo e todos não dando à população clareza para se saber qual a linha politica q esta se propondo. O eleitor nãos tem como saber quem será eleito em uma coligação então o seu voto em um regime politico q seria de esquerda pode acabar elegendo um politico de direita e com compromissos partidários de direita. A coligação é um dos canceres da politica brasileira tornando todos partidos iguais.

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 17:21 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Sou totalmente a favor do fim das coligações para qualquer cargo. Se querem se juntar então juntem o partido e não fazer alianças para ganhar tempo na propaganda eleitoral em troca de cargos!

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 18:50 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Concordo plenamente com o fim das coligações nas proporcionais. É um dos fatores que mais contribui para a descaracterização dos partidos no que tange à ideologia. Para poder se eleger, uma candidatura negocia coligar-se nas proporcionais com qualquer partido que esteja disposto. Na minha cidade, nas eleições de 2012, o PCdoB se coligou com um partido de direita, de forma que o voto em um vereador do PCdoB fortalecia, ao mesmo tempo, vereadores de um partido e ideologia oposta (a quem esta coligação representa? A ninguém!). Se essas coligações forem proibidas, teremos, no médio e longo prazo, partidos mais coerentes e focados em seus programas partidários.

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 18:52 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Exatamente.
Sem contar que coligações são usadas como moeda de troca (onde já se viu um partido ter DIREITO sobre um Ministério, por exemplo?, é o tipo de coisa que decorre das coligações).

Sem coligações de qualquer tipo, sem troca de favores, sem confusão de ideologias, teremos muito menos corrupção e incompetência na gestão e na legislatura.

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 19:03 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Apoiadíssimos!! Coligação partidária não representa ninguém!!

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 19:40 em resposta a Gean Carlos Carlos Ramos.
Fim das coligações já!!!

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 19:49 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Exato ! Coligações partidárias não compartilham ideias, é apenas um instrumento para aplicar uma hegemonia de governo, aumentar tempo de TV e permanecer no poder! A época do café com leite não era diferente!

Isso e injusto com outros partidos que realmente tem algo de bom a oferecer a população.

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 20:19 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Esse provavelmente será o único ponto com unanimidade.

Chega de coligações partidárias!

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 20:32 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Concordo com a PROIBIÇÃO DE COLIGAÇÃO ENTRE PARTIDOS PARA O PODER LEGISLATIVO, pois não existe razão para haver coligações. Os candidatos a cargos do legislativo devem demonstrar suas ideias e propostas e estas tem que está em consonância com o partido político que esteja inserido. Deve haver a impossibilidade, então, de coligação para cargos do legislativo, pois apenas embaralham as ideias dos partidos para os eleitores e fica ainda mais difícil se ter uma coerência política para os candidatos.

Acho que APENAS existiria a possibilidade de se existir COLIGAÇÃO partidária para cargos eletivos para CHEFES DO PODER EXECUTIVO, já que estes representam uma coalisão de forças que garantiria uma governabilidade futura. MAS NÃO DEVE EXISTIR COLIGAÇÕES APENAS COM INTUITOS UTILITARISTAS DE SE TER MAIOR TEMPO DE COMUNICAÇÃO!!! Nesse sentido, apenas visualizo a seguinte solução: o tempo de televisão decorreria em função apenas do partido que detivesse o direito de maior tempo (apura-se o tempo do partido isolado ou o maior tempo de apenas um dos partidos coligados) e que depois seria distribuído proporcionalmente pelo tempo de horário eleitoral;

Veja o exemplo APENAS POSSÍVEL PARA O PODER EXECUTIVO: Um pleito com 3 candidatos: candidato do Partido A, candidato da Coligação 1 (Partido B, Partido C e Partido C) e Coligação 2 (Partido E, Partido F e Partido G). Os tempos de cada partido pela legislação eleitoral seriam: A (12 min), B (8 min), C (2 min), D (6 min), E (10 min), F (3 min) e G (7 min). Nesse sentido os tempos para comunicação dos candidatos seriam: Candidato do Partido A = 12 min; Candidato da Coligação1 = 8 min; Candidato da Coligação 2 = 10 minutos. Assim, possibilitar-se-ia uma divisão mais igualitária do tempo de comunicação e se inibiria as coligações apenas por necessidade de tempo de comunicação.

RE: fim das coligações
Resposta
24/07/13 21:13 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Concordo com o fim das coligações.Um candidato a deputado hoje é obrigado a apoiar outro candidato a governador por exemplo apena porque o partido dele tem coligação com o partido do outro candidato, independente do candidato a deputado concordar ou não com o candidato a governador.

RE: fim das coligações
Resposta
25/07/13 00:15 em resposta a Davi Marinho.
Concordo.
Reforçando a ideia, acredito que não deva ter partidos, ou se for ter, que seja somente um. O partido deve representar o povo e não uma classe, seja ela de trabalhadores, religião ou qualquer coisa. Somos todos brasileiros e deveríamos lutar por todos, e não uma classe.

RE: fim das coligações
Resposta
25/07/13 15:41 em resposta a Bruno Pio.
Eu tenho certeza que o banqueiro Daniel Dantas não lutaria ao meu lado por aquilo que eu luto.

A nacionalidade é apenas uma condição jurídica. A sociedade capitalista é necessariamente antagônica e fraturada.

RE: fim das coligações
Resposta
25/07/13 15:45 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Concordo. Atualmente temos casos vergonhosos.

Por exemplo: candidato único a prefeito em uma a cada 50 prefeituras. Coligações com 15 e até 20 partidos políticos, uma infinidade de siglas, a maioria sem sequer um programa político, uma filosofia social e uma militância próprias. Simples máquinas eleitorais para servirem de correia de transmissão dos interesses de grupos empresariais e clãs políticos. Tudo baseado no clientelismo, personalismo, nepotismo, corporativismo capitalista, sem qualquer ligação com o povo.

Resultado: a maioria dos políticos trabalham para si mesmos e para os seus financiadores de campanha. Comportam-se como uma nobreza parlamentar, quando na verdade são simples funcionários do povo. NOSSOS FUNCIONÁRIOS.

RE: fim das coligações
Resposta
27/07/13 02:14 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Não deve haver coligações para as eleições parlamentares sob o sistema proporcional. Para cargos executivos e eleições parlamentares em sistema majoritário distrital não seria democrático e, tampouco, prático impedir coligações. Porém, o tempo de propaganda a ser destinada à coligação deve ter como referência apenas o do partido do candidato e do vice.

RE: fim das coligações
Resposta
27/07/13 20:53 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
1. fim do voto secreto no legislativo;
2. extinguir o voto de lideranças;
3. abolir a sistemática de votação do tipo “quem estiver a favor permaneça como está”;
4. financiamento de campanha exclusivamente público;
5. divulgação na internet despesas de campanha: data, hora, cidade, uf, CNPJ/CPF, nome recebedor, finalidade, valor etc;
6. regulamentar PLEBISCITOS e REFERENDOS (Projetos de Lei nº 4.718/2004 e 6.928/2002);
7. regulamentar CONSULTA POPULAR para revogar mandatos (PLS nº 269/2005 e 82/2003);
8. implementar a revogação e o veto popular (PEC 80/2003);
9. voto distrital misto;
10. princípios mínimos obrigatórios em estatutos e regimentos internos dos partidos: democracia interna, transparência;
11. prazo mínimo de 5 (cinco) anos de filiação para concorrer a cargos internos e eletivos, critérios para indicação para concorrer a cargos eletivos etc;
12. lista fechada ou mista, composta por voto direto dos filiados do partido;
13. proibir coligações partidárias para cargos proporcionais;
14. reduzir o período de propaganda eleitoral para, no máximo, 30 dias corridos;
15. permitir propaganda em rádio e TV somente ao vivo, sem produção de agências de publicidade;
16. regulamentar o formato dos debates entre candidatos ao Executivo;
17. definir prazo máximo para tramitação de propostas no legislativo (9 meses);
18. reduzir a quantidade mínima de assinaturas para apresentação de projeto de iniciativa popular;
19. voto facultativo;
20. abolir as emendas parlamentares ao Orçamento Geral da União;
21. extinguir o foro privilegiado e a imunidade processual para crime comum;
22. abolir as medidas provisórias ou instituir mecanismo que obrigue votação imediata, em até 30 (trinta) dias, no máximo;
23. concurso para ministros dos tribunais, revogar a indicação pelo Executivo;
24. eliminar a concessão de subsídios a vereadores nos municípios com menos de 100.000 habitantes;
25. extinguir o instituto da reeleição, inclusive para o legislativo;
26. estabelecer mandatos de 5 (cinco) anos e realizar eleições anuais;
27. no 1º ano, eleições para vereadores e deputados estaduais/distritais;
28. no 2º ano, para prefeitos municipais;
29. no 3º ano, deputados federais e senadores;
30. no 4º ano: governadores;
31. no 5º ano: presidente da república;
32. extinguir o Senado e transformar o parlamento em unicameral;
33. reduzir o mandado de senador de 8 para 5 anos;
34. quebra automática de sigilo (fiscal, bancário e telefônico) a partir do registro de candidatura a qualquer cargo eletivo (PEC 42/2007);
35. quebra automática de sigilo (fiscal, bancário e telefônico) a partir da posse em cargo público eletivo ou de livre provimento;
36. detentores de cargos públicos indiciados, investigados, denunciados sejam afastados, automática e temporariamente (6 meses);
37. retenção de passaporte, bloqueio de bens, quebra de sigilo (fiscal, bancário e telefônico) de autoridades denunciadas;
38. proibir qualquer propaganda paga por órgãos públicos;
39. garantir informes de utilidade pública na TV de forma gratuita, obrigatória e prioritária;
40. proibir o uso de cavaletes, bandeiras e carro de som na propaganda eleitoral;
41. proibir a divulgação de pesquisas eleitorais;
42. instituir mecanismos rigorosos e eficazes sobre fidelidade partidária;
43. divulgação, na internet, de declarações de renda e patrimônio dos ocupantes de cargos públicos eletivos e de livre provimento;
44. posse em cargo eletivo condicionada a desfecho de eventuais processos a que responda o candidato;
45. organizar a pauta do legislativo de acordo com a ordem de entrada: “primeiro a entrar primeiro a sair”;
46. parlamentares só nomear, no máximo, 5 (cinco) assessores em cargos de livre provimento;
47. conceder a parlamentares federais, no máximo, 2 (duas) passagens (ida/volta) à capital de origem, por mês;
48. parlamentar que deixar de comparecer a mais de 1/10 (um décimo) das sessões legislativas de cada ano perderá o mandato.

RE: fim das coligações
Resposta
28/07/13 01:48 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Concordo com o fim das coligações partidárias para as eleições proporcionais.

O eleitor não pode votar em uma ideia e eleger uma ideia contrária. Não faz sentido nenhum. Tudo em virtude do tempo de televisão? Não faz o menor sentido.

Posso até mudar de opinião, mas até agora ninguém me deu argumentos válidos para isso.

E, sinceramente, não acredito que tenha.

RE: fim das coligações
Resposta
28/07/13 05:34 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Coligaçoes como todos aqui disseram , é o um dos muitos cancer da politica, Quando se vê O PT se coligando com o Maluf para ter mais tempo de TV e em troca dar um Ministerio para o PP , voce ve que a politica chegou num limite deploravel , e o pior o filiado do PT fica de mao amarradas .
Claro que o fim disso é a saida, mas no minimo o Filiado de todos os partidos,devem ter o poder de opinar sobre coligacoes , se vai fazer coligacao , na convencao do partido deve se colocar isso para votacao , como muitos outros temas que o filiado não tem voz.

RE: fim das coligações
Resposta
29/07/13 20:07 em resposta a Diego Rodrigues.
Diego Rodrigues:
Coligaçoes como todos aqui disseram , é o um dos muitos cancer da politica, Quando se vê O PT se coligando com o Maluf para ter mais tempo de TV e em troca dar um Ministerio para o PP , voce ve que a politica chegou num limite deploravel , e o pior o filiado do PT fica de mao amarradas .
Claro que o fim disso é a saida, mas no minimo o Filiado de todos os partidos,devem ter o poder de opinar sobre coligacoes , se vai fazer coligacao , na convencao do partido deve se colocar isso para votacao , como muitos outros temas que o filiado não tem voz.



nossa... ia postar essa do maluf agora... contra coligações tbm

RE: fim das coligações
Resposta
01/08/13 13:09 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
Sou totalmente a favor do fim das coligações!
Na minha opinião o objetivo e finalidade da coligação e contrario ao objetivo e finalidade do partido politico!
Cada partido representa uma unica ideologia.
Logo conclui-se que não ha possibilidade ter uma união com objetivos e finalidades diferentes, do mesmo modo que união de duas ou mais ideologia!

Reforma politica com o seguinte tema já:

Você é a favor do fim das coligações politicas e proibição de qualquer outro método que permita a uniam de dois partidos ou mais para participar / concorrer de / a uma eleição? Sim ou não?
Eu voto sim!!!!!

NOTA: penso na importância de deixar claro no ato da consulta que não só abordar pelo fim da coligação politica, como também a proibição de qualquer método que permita vários partidos se unirem para concorrer a uma eleição. emoticon

RE: fim das coligações
Resposta
02/08/13 18:19 em resposta a ORLANDO MONTENEGRO.
RE: fim das coligações

Mostrando 1 - 20 de 28 resultados.
de 2