Exportação de Dados do Fórum

Fórum

Sistema que criei. "Voto Fluído".

Compartilhe este tópico:
Tópicos [ Anterior | Próximo ]
Sistema que criei. "Voto Fluído".
Resposta
05/11/13 15:43
1 - O eleitor vota em um candidato e depois no partido.

2 - Se determina quantos votantes para quantidade de vaga e se calcula o coeficiente eleitoral.

3 - Ficam eleitos os candidatos que conseguiram ultrapassar o coeficiente partidário apenas com o voto no candidato nominal.
O votos excedentes, que ultrapassaram o coeficiente eleitoral, são divididos entre os partidos de preferência destes eleitores. Exemplo: Dos eleitores do candidato João da Silva, 40% votaram no partido vermelho, 35% no partido azul, 25% no partido amarelo. Os votos, neste caso, seriam distribuídos da seguinte forma 400 no partido vermelho, 350 no partido azul, 250 no partido amarelo.

4 - Os candidatos não eleito nominalmente com mais votos lideram as lista de cada partido de forma decrescente.

5 - Se determina quantas vagas cada partido possui de acordo com o voto partidário além das vagas que foram preenchidas no voto nominal.

6 - Os candidatos que lideram a lista são os primeiros a receber os acentos até que todas as cadeiras sejam preenchidas.

7 - As vagas que sobrarem serão definidas pelo sistema atual de divisão de sobras.

Considerações:

O objetivo do Voto Fluido é corrigir os pontos fracos do sistema atual, melhor adequando a forma que o brasileiro naturalmente expressa sua intenção no momento do voto, ainda garantir a proporcionalidade prevista na constituição e fundamental para melhor garantia de representação. O eleitor brasileiro em sua maioria vota com os candidatos de preferência em mente. A ideia por traz do Voto Fluído é oferecer a oportunidade ao eleitor fazer uma escolha de caráter nominal e proporcional, mas sem eleger candidatos da legenda ou coligação caso não seja sua intenção. No sistema atual, os votos são do partido/coligação. O voto no candidato só define a ordem da distribuição das vagas que o partido obteve. Já no Voto Fluído, o voto é primeiro do candidato, e se o voto não for útil para eleger seu candidato, ele é redirecionado a um partido de preferência. Por este sistema, os candidatos podem se eleger com votos próprios, para isso, basta que o candidato tenha quantidade de votos necessário para obtenção da vaga no parlamento. Os votos excedentes (que ultrapassaram o quociente necessário para elegê-lo) são transferidos aos partidos de preferência do eleitor deste candidato. Desta forma, acaba-se definitivamente com a figura do "Puxador de Votos". Se um candidato for muito votado, os votos excedentes não ajudam a legenda ou coligação, apenas o voto na legenda exerce essa função. O sistema também acaba com a angariação de votos de pequenos candidatos. Isso ocorre quando os partidos/coligações disponibilizam diversos candidatos que não terão chances de se eleger com votos próprios, e desta forma, suas candidaturas acabam servindo para aumentar a votação do partido/coalizão ajudando a eleger candidatos com maior visibilidade/recurso de campanha. No Voto Fluído, quando um candidato não tem chances de se eleger nominalmente, os votos deste candidato vão para o partido de preferência do eleitor e não para a legenda/coalizão do candidato. É "Fluído" porque o voto é remanejado de forma a potencializar a representação do eleitor. No Voto Fluído, o caráter nominal é preservado, permitindo maior relação de confiança entre o eleitor e o eleito.